domingo, 5 de setembro de 2010

Arqueofonia: primeira gravação completa 150 anos

Até março de 2008, a gravação mais antiga que se conhecia era a de Thomas Edison, feita em 1877, com o poema Mary has a little lamb. Os discos gravados em 1977 vinham com um selo impresso saudando os 100 anos do evento. No entanto, essa história mudou quando em março de 2008 foram decifrados 10 segundos de uma gravação ainda mais antiga, de 9 de abril de 1860, 17 anos antes de Edison.
O francês Edouard-Leon Scott de Martinville inventou um aparelho que ele chamou de “fonautógrafo”, que gravava ondas sonoras em uma folha de papel escurecida pela fumaça de uma lâmpada a óleo. Ele gravou, mas nunca conseguiu inventar um aparelho que reproduzisse a gravação. E, assim, o trecho de 10 segundos da canção Au clair de la lune ficou em silêncio por 148 anos.
A novidade veio à tona quando um pesquisador da organização americana First Sounds foi avisado de que havia possivelmente um registro sonoro em Paris. Os 10 segundos históricos foram decifrados mas estão, é claro, quase inaudíveis e ainda passam por sucessivos processos de restauração. No trecho, em meio a muitos ruídos, ouve-se uma mulher cantar “au clair de la lune, pierrot repondit” (“à luz da Lua, pierrô respondeu). Clique na seta acima do texto para escutar.
Na foto acima, o fonautógrafo.
Texto extraído do site Rádio Lab. Em: http://radioesfera.wordpress.com/2010/08/08/arqueofonia-primeira-gravacao-completa-150-anos
Confira o audio, clicando no link acima!!!

0 comentários:

Postar um comentário