terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Torturas na Ditadura Militar: reflexões e indicações de leitura

Hoje no Blog "História UPF" há um post bastante interessante sobre as torturas ocorridas durante o Regime Militar (1964-1985). O referido post trata da existência de um documentário produzido no início da década de 1970 sobre o assunto. Trechos do documentário estão disponibilizados no site Youtube. 
Aproveitando a oportunidade, a sociedade tem que fazer uma pressão maior para a abertura dos arquivos do período ditatorial, afinal foram 21 anos em que muitos além de torturas, pagaram com suas vidas o direito a liberdade de expressão.

Estamos as vésperas de mais uma sucessão presidencial, espera-se que haja um avanço na abertura dos arquivos. Isto é uma questão de justiça no mar da impunidade aos torturadores. Isso evidentemente é uma cicatriz que jamais sairá. 
Urge a revisão da Lei da Anistia assinada em 1979, é um absurdo prever anisitia a quem torturou e matou! 
Sei que é um tema pesado, mas diante de uma sucessão presidencial é necessário uma reflexão da democracia e uma primeira atitude que deve ser tomada é nunca esquecer os horrorosos 21 anos de traumas e sofrimentos. 
Sobre este assunto recomendo a leitura de uma obra que assim como a de Bartolomé De Las Casas ao contar as torturas realizadas pelos espanhóis aos nativos americanos,  tem o propósito de denunciar o barbarismo realizado no Brasil entre 1964-1985. Falamos da obra "Brasil Nunca Mais".
A obra é o resultado do  projeto “Brasil: Nunca Mais” desenvolvido por Dom Paulo Evaristo Arns,  Jaime Wright (Pastor presbiteriano) e equipe,  realizado de forma  clandestina nos anos de chumbo  
O projeto gerou uma importante documentação sobre a história do Brasil, sistematizou informações de mais de 1.000.000 de páginas contidas em 707 processos do Superior Tribunal Militar (STM) revelando a extensão da repressão política no Brasil cobrindo um período que vai de 1961 a 1979, atualmente constituí-se no fundo mais pesquisado do Arquivo Edgard Leuenrouth na UNICAMP em Campinas.[
O relatório completo, resultado do esforço de mais de 30 brasileiros que se dedicaram durante quase seis anos a passar nossa história a limpo, reescrevendo-a a partir das denúncias feitas em juízo por opositores do regime de 64, bem como o livro publicado pela Editora Vozes, tiveram papel fundamental na identificação e denúncia dos torturadores do regime militar e desvelaram de forma incontestável, as perseguições, os assassinatos, os desaparecimentos e as torturas; atos praticados nas delegacias, unidades militares e locais clandestinos mantidos pelo aparelho repressivo no Brasil.
O projeto foi  realizado com o intuito de educar e não se deixar esquecer os momentos tristes e arbitrários vividos por tantos brasileiros e o descaminho trilhado em nosso país com a quebra da legalidade constitucional.
Em resposta ao livro de Arns, os militares escreveram o Tentativas de Tomada do Poder baseado em documentação produzida pelos órgãos de repressão do período, contendo uma versão policial sobre a história e as pessoas citadas.
Mais sobre o assunto ...
Versão Digital do Projeto Brasil  Nunca Mais - http://www.armazemmemoria.com.br/

0 comentários:

Postar um comentário