quarta-feira, 2 de março de 2011

2 de março de 1939 – Eugenio Pacelli é eleito Papa como Pio XII

No dia de seu 63º aniversário, o Cardeal Eugenio Pacelli foi eleito Papa quebrando a tradição da Igreja pela qual um cardeal-secretário do Vaticano quase nunca chegava a ascender ao trono pontificial (tendo isso acontecido pela última vez mais de século antes da eleição de Pacelli). Após escolher o nome de Pio XII, o Papa surgiu no balcão da Basílica de São Pedro treze minutos depois de ter sido anunciada a sua ascensão ao posto mais alto da hierarquia da Igreja Católica, entre aplausos entusiásticos da multidão que aguardava ansiosa o fim do conclave, e que se ajoelhou em reverência ao novo papa antes mesmo de conhecer seu nome.

Para receber a primeira benção do novo papa, a Praça de São Pedro ficou imersa por momentos em grande silêncio, quebrado por Pio XII, que proferiu em latim: “Bendito seja o nome de Deus!”. E prosseguiu: “Possa a bênção de Deus todo poderoso descer sobre vós e entre vós permanecer para sempre”. A multidão, emocionada, prontamente respondeu ao novo Papa: “Amém”.

O conclave para a eleição do Papa Pio XII foi um dos mais rápidos da História, tendo durado apenas dois dias desde o início da clausura dos cardeais até o momento em que a fumaça branca pôde ser vista saindo da chaminé da Capela Sixtina, anunciando a eleição do novo Papa na terceira votação. Nunca, desde 1623, um conclave elegeu tão rapidamente um novo Pontíficie. A situação tensa da Europa pré Segunda Guerra foi o motivo pelo qual os cardeais se viram na obrigação de chegar o mais rapidamente possível a um acordo sobre o nome do novo Papa, sendo Pacelli o favorito pela sua experiência em missões diplomáticas eclesiásticas. A Igreja e o mundo não podiam ficar órfãos durante muito tempo.

Desde que assumiu o cargo de Secretário de Estado, em 1930, designado pelo Papa Pio XI, a Igreja teve que enfrentar dias dificílimos na Europa, no período tenso de entre guerras, tendo sido Pacelli uma figura fundamental nas iniciativas do Vaticano como mediador de acordos de paz. Antes de se tornar Secretário, Pacelli já se envolvia em assuntos diplomáticos da Igreja, tendo sido responsável por concordatas com vários Estados, sendo a mais famosa a com a República da Polônia, em 1925.

O pontificado de Pio XII foi marcado por seu esforço em trazer a paz para a Europa, que vivia o caos da Segunda Guerra Mundial. Ele condenou a perseguição nazista, tendo sido ameaçado de sequestro por Hitler certa vez, condenou a guerra e tentou evitá-la a todo custo, antes de seu estopim. Pio XII ocupou o mais alto cargo eclesiástico até a sua morte, em 1958.

Fonte: Blog Hoje na História - Jornal do Brasil

0 comentários:

Postar um comentário