terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Alunos expõem em MUHM até 03 de março de 2012!



Além de exibir as exposições SIMERS: 80 anos de História e DESAFIOS: A Medicina e a luta pela vida o Museu de História da Medicina recebe nos meses de janeiro e fevereiro duas mostras de duas escolas de Porto Alegre que visitaram e participaram de oficinas no MUHM, resultando depois em trabalhos de fotografia e exposição sobre História da Medicina feitos em conjunto com as professoras de História e Ciências. As exposições iniciam no dia 03 de janeiro.  

A primeira escola a expor no MUHM será a Escola Estadual Imperatriz Leopoldina. Segundo a professora de História Renata Chimango Fonseca o trabalho partiu das visitas feitas ao museu e depois, junto com a professora Cássia Beppler, de Ciências, foi elaborada a exposição "História e Medicina". O aluno Bruno Cesar Salim de Moraes afirmou ter gostado de fazer o trabalho e destacou partes pesquisadas por ele e os colegas. "Foi legal conhecer a história da medicina e também como eram as coisas no Brasil antigamente", contou o estudante. Seu grupo pesquisou sobre a hanseníase e o Hospital Colônia Itapuã. 

Já em fevereiro (a partir do dia 1º) a Escola Municipal Chico Mendes apresenta o resultado do projeto "Aluno em Foco", que oportuniza a aprendizagem de técnicas básicas de fotografia digital. De acordo com a professora Adriane Feijó o projeto possibilita ainda que os alunos possam ir além dos seus cotidianos e conhecer outras realidades, ampliando seu repertório cultural. Serão expostas fotos de visitas realizadas durante dois anos, em duas séries, "Mais fotografia" (2010) e "Viva a fotografia" (2011). 

A visitação acontece dentro do horário de abertura do museu: durante o horário de verão, de terças a sextas-feiras das 12h às 20h e aos sábados e domingos a partir das 15h. Após, abre e fecha uma hora mais cedo.

Fonte: Museu da História de Medicina (MHUM)

Cursos de capacitação e atualização em gestão documental


A Anima Ensino - Mídia e Conhecimento divulga minicursos online, à distância e presenciais.

Normas e procedimentos para a segurança de documentos
Minicurso on-line via Webconferência
Permitir o acesso seguro à informação contida em documentos físicos e digitais preocupa as instituições em função do grande volume gerado. Assim, neste curso será discutido o estabelecimento e aplicação de normas e procedimentos para a garantia desta segurança.
Dias 19 e 22 de março às 18h

NORMAS TÉCNICAS APLICADAS À GESTÃO DOCUMENTAL

Curso on-line via Webconferência
Este curso é composto pelo conjunto de mini-cursos de Normas e Procedimentos Aplicadas à Gestão Documental. Serão discutidas questões como: qual a sua definição e como ela se relaciona com transparência e racionalidade administrativa? Qual o sentido e a importância de normas técnicas para esse universo de atuação? entre outras.
De março a Julho.

Norma Técnica: Mobiliário e Equipamentos para Guarda Documental

Minicurso on-line via Webconferência

A segurança de documentos nos seus diferentes suportes deve ser item obrigatório de qualquer política institucional. Para que isto ocorra, as recomendações técnicas para aquisição de equipamentos, mobiliários e definição de áreas que detenham arquivos ou acervos devem ser consideradas.

Dias 23 e 24 de abril às 18h

Normas e Procedimentos de Sigilo e Acesso a Documentos

Minicurso on-line via Webconferência

Cada vez mais dispomos de diferentes suportes para a produção, tramitação e armazenamento de documentos, fazendo com que as instituições busquem estabelecer políticas de sigilo e acesso às informações. Assim, discutiremos os princípios de acesso e sigilo que garantem a preservação da informação, de acordo com regulamentação legal.

Dias 14 e 17 de maio às 18h

Normas e Procedimentos: Produção, Circulação e Divulgação

Minicurso on-line via Webconferência

Um acervo documental fará sentido à medida que for disponibilizado e utilizado para a produção de conhecimento e inovação. Assim, discutiremos a normatização envolvida desde a produção documental até a sua divulgação. Esta normatização visa estabelecer procedimentos corretos durante o decurso da utilização da informação.

Dias 25 e 28 de junho às 18h

Normas e Procedimentos para Arquivamento e Consulta de Documento

Minicurso on-line via Webconferência

A Gestão Documental necessita de normas e procedimentos que estabeleçam seus prazos de guarda. Estes prazos são definidos por meio de tabelas de temporalidade que estejam de acordo com a legislação vigente, para garantir que estes sejam guardados por prazos de acordo com necessidades legais.

Dias 2, 5, 16 e 19 de julho às 18h

Microfilmagem e Digitalização aplicadas à Acervos Institucionais

Minicurso on-line via Webconferência

Este webinar abordará os aspectos legais em torno do uso da microfilmagem e digitalização, seu desenvolvimento histórico, possibilidades e potencialidades nas instituições. Também serão discutidas as repercussões das tecnologias sobre acervos institucionais e acervos históricos ou de longa permanência.

Dias 27 e 30 de agosto às 18h

Preservação de Documentos Digitais e seus Requisitos

Minicurso on-line via Webconferência

O volume de informações atualmente produzido extrapola as possibilidades de organização, guarda e disponibilização por longos períodos. Assim, serão discutidos o estabelecimento de critérios para a determinação de quais informações deverão ser mantidas, para quê e com que finalidade.

Dias 24 e 27 de setembro às 18h


Extraído do site da  ANPHU Nacional. Disponível em: http://www.anpuh.org/informativo/view?ID_INFORMATIVO=2598

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Inscrições Abertas para Aluno Especial - Mestrado em História UFPEL



A Universidade Federal de Pelotas em conformidade com o Regimento Stricto Sensu da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em História torna público, para conhecimento, o processo de seleção de candidatos interessados em cursar disciplinas optativas como aluno especial do referido Programa, nos termos estabelecidos neste Edital.


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Curso de Extensão - Escritas da História e Historiografia


Imagem: Divulgação Blog História UPF

PROPOSTA 
Curso: Escritas da História e Historiografia
Ministrante: Prof. Dr. Gizele Zanotto
Modalidade: Semipresencial
Inscrições: 01 a 24 de março de 2012 na Coordenação do Curso de História
Investimento: R$ 30,00
Período de atividade: 24 de março a 21 de julho de 2012
Horário: 09 as 11:30 h nos encontros presenciais
Público alvo: Graduandos e egressos do curso de História e demais ciências humanas e sociais
Carga Horária: 60 horas
Exigência para certificação: Mínimo de 75% de presença computadas entre as atividades presenciais e não-presenciais (via Moodle).


O curso de extensão semipresencial Escritas da História e Historiografia visa propiciar aos cursistas a revisão e aprofundamento quanto as perspectivas teórico-metodológicas que norteiam a pesquisa e produção historiográficas. Tal proposta vincula-se a demanda dos próprios acadêmicos e egressos que buscam aprimoramento quanto à temática, tão basilar para pesquisas e atuação docente dos historiadores. 


METODOLOGIA
O curso, que será realizado na modalidade semipresencial, prevê encontros de discussão e instrumentalização teórico-metodológica pautadas em leitura e análise de textos, bem como na utilização de tecnologias e meios multimídia que orientem os trabalhos. A semipresencialidade dar-se-á pela mediação do Moodle/UPF que propiciará o contato contínuo entre professor e cursistas, assim como suporte para o envio de atividades relacionadas ao conteúdo ministrado.


PROGRAMA

MÓDULO I - A História e a historiografia como disciplina
24/03 - Início das atividades (apresentação do curso, metodologia, formas de avaliação de presença e Iniciação ao Moodle)(Sala 01 do IFCH - 09 horas - e 03 do LCI - a partir das 10 horas)
07/04 - História e Historiografia como disciplinas ( Sala 01 do IFCH )


MÓDULO II - As escritas da História
28/04 - Movimentos historiográficos ( Sala 01 do IFCH )


MÓDULO III - As fontes do historiador
12/05 - O historiador e suas fontes de pesquisa ( Sala 01 do IFCH )


MÓDULO IV - Pesquisa e produção textual
26/05 - Metodologia de pesquisa: instrumentais iniciais ( Sala 01 do IFCH )
16/06 - Metodologia da pesquisa (via Moodle)
07/07 - Metodologia da pesquisa - envio da primeira versão do trabalho (via Moodle)

Fonte: Blog História UPF. Disponível em: http://historiaupf.blogspot.com/2012/02/curso-de-extensao-escritas-da-historia.html

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Mostra fotográfica homenageia 27 anos da TRENSURB


Divulgação TRENSURB foto de: Lorilene Dal’Ago
A partir desta sexta-feira, 17, a Galeria Mario Quintana, da Estação Mercado da Trensurb, recebe a exposição fotográfica ‘Olhar (in)comum – a Trensurb vista por outros ângulos’. A mostra é uma homenagem do Sul Foto Clube à empresa de trens urbanos, que completa 27 anos de operação no próximo dia 2 de março.

Com imagens diferenciadas da rotina do trem gaúcho, registradas pelas lentes de 11 fotógrafos, a exposição ressalta detalhes que muitas vezes passam despercebidos pelos usuários. As fotos foram feitas em visita guiada à empresa, realizada no mês de janeiro. A atração segue no espaço até o dia 14 de março. 

Maiores informações:

Exposição Olhar (In)comum

O que: exposição fotográfica Olhar (In)comum – A Trensurb Vista por Outros Ângulos
Quando: de 17 de fevereiro a 14 de março, das 5h às 23h20min.
Onde: Galeria Mario Quintana, no túnel de acesso às plataformas de embarque e desembarque da Estação Mercado da Trensurb.
R$ 1,70 (tarifa unitária do metrô).

Fonte: TRENSURB.

Extraído do Site Coletiva.net. Disponível em: http://www.coletiva.net/site/noticia_detalhe.php?idNoticia=44156

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

PPGEDU da ULBRA abre inscrições para Mestrado em Educação

PPGEDU recebe inscrições até dia 27 de fevereiro

O Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEDU) da ULBRA está com inscrições abertas para o Mestrado até dia 27 de fevereiro. Os interessados devem preencher ficha e efetuar o pagamento da taxa de R$ 50,00. A documentação exigida para a candidatura à vaga deve ser enviada para a coordenação do curso. Após esta fase, os inscritos participam de uma prova escrita no dia 1º de março. Os resultados do teste serão divulgados no dia 6 no site www.ulbra.br/ppgedu.

Os candidatos selecionados devem encaminhar Curriculum Vitae e fazer o agendamento de entrevistas no dia 7 de março. A lista final dos aprovados será divulgada pela internet, no site da ULBRA, a partir do dia 9 de março, e as matrículas serão realizadas nos dias 12 e 13.

Documentos para inscrição

Cópia autenticada do Diploma de Graduação
Cópia do RG e do CPF

Onde entregar?

A documentação pode ser entregue pessoalmente na Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Educação, no prédio 14, sala 217, campus Canoas. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h45.

Por correspondência, os documentos devem ser enviados para a Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação com endereço na Av. Farroupilha, 8001, prédio 14, sala 217, bairro São José, Canoas/RS - CEP 92450-900.

Mais informações no site www.ulbra.br/ppgedu, pelo telefone  3477.4000, ramal 2308 ou pelo e-mail ppgedu@ulbra.br.

Para refletir...

Fonte da Imagem: Paulo Ghiraldelli Jr.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Comunicado Importante II

Informamos que já está normalizado o Portal Falando de História. Já foi concluída a manutenção no site, que foi informada ontem.
Sem mais
Noé  Gomes

Comunicado Importante

Informamos que o Portal Falando de História estará em manutenção na sua hospedagem, podendo apresentar instabilidades ao longo dia. Estamos trabalhando para restabelecer o quanto antes o site.
Sem mais
Noé Gomes

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

XIV Encontro Estadual de História-ANPHU/SC


Maiores informações em: clique aqui

Dúvidas, incertezas e ausências de respostas

Por Noé Gomes*

Prezados leitores,

Estive pensando muito sobre a publicação deste texto. De um lado, as reticências de fazer uma fala que poderia ser entendida como agressiva, ou que pode ser mal-entendida. Mas se eu não postar este texto, estarei talvez cometendo o erro da omissão. 

Na condição de professor, de quem fez o seu juramento  como licenciado não tem como eu não usar deste espaço pra manifestar o sentimento de angustia que assim como eu,  uma coletividade de pessoas que não sabem  o que vai acontecer neste ano letivo. Ainda em janeiro, falando com um vice-diretor de uma escola de Canoas, ele me disse: "Eu não sei sinceramente o que vai acontecer neste ano letivo!"

Esta é a fala de uma coletividade! Em novembro de 2011, na sede da FENAC em Novo Hamburgo, houve uma reunião organizada pela 2ª Coordenadoria Regional de Educação (2ª CRE),  com o intuito de esclarecer dúvidas sobre o chamado "Ensino Politécnico" (proposta de reformulação do Ensino Médio, proposta pelo Governo do RS), mas para espanto de todos os presentes foram expostas perguntas que foram formuladas em encontros anteriores nos municípios que compõem a região, mas respostas: nenhuma que fosse realmente esclarecedora e satisfatória! Posteriormente houve um encontro estadual sobre a proposta em Porto Alegre, onde não estive presente. 

Nós professores, não tememos reformulações, pensamos que é necessário que ocorram mudanças, mas o meu sentimento é que a proposta do Governo está sendo implantada de forma autoritária e atropelada. Por mais que a SEDUC (Secretaria de Educação do RS) negue isto, o fato é que não há uma clara e nítida definição por parte do proponente do projeto. Imagine que o professor chega em sala de aula e propõe uma atividade, porém a qualquer questionamento dos alunos, o mesmo não responde e desvia o assunto. "Que parecer será dado sobre este docente?" 

Diante deste cenário, encontramos no site da SEDUC, algumas perguntas com respostas. Destaco a terceira pergunta, onde  há uma definição do que é Ensino Médio Politécnico:

É o Ensino Médio que vinculado a realidade social e ao desenvolvimento científico-tecnológico, integra as áreas do conhecimento (linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas). Na prática, o estudante terá, além das aulas dos componentes curriculares do Ensino Médio, o desenvolvimento de projetos com atividades práticas e vivências relacionadas com a vida, com o mundo e com o mundo do trabalho. Contudo, isso não implicará na extinção das disciplinas, que serão fortalecidas no diálogo interdisciplinar

Pessoalmente não me desagrada a definição e a tentativa de se trabalhar com projetos, mas pergunto:

a) Como serão estes projetos?

b) E o aluno do noturno que trabalha o dia em turno integral, como poderá desenvolver atividades extra-aulas? Quando sabemos que o noturno, sem atividades já há um índice de evasão?

Estas questões fazem parte de um conjunto de perguntas não respondidas e que não as farei aqui, mas que ficaram sem respostas. 

Mais do que fazer apontamentos e questionamentos pretendo expor com o título deste post "Dúvidas, incertezas e ausências de respostas" a sensação não do novo, mas de algo que está confuso e por isto a angustia, quero sentar, discutir e planejar com bases firmes. Diante de tudo o que está ocorrendo. o medo não é o de mudar, mas sim a maneira de como isto se dará. 

Ainda, reproduzo a última fala final da SEDUC no documento postado em seu site:

16. Se não é uma proposta autoritária, por que as etapas das conferências não são deliberativas?
Não é autoritário porque a proposta não está pronta. Ela será formatada, discutida e aperfeiçoada na prática de cada escola durante o ano de 2012. As etapas não têm caráter deliberativo e não há encaminhamento de votações, pois todas as contribuições e sugestões serão acolhidas, sistematizadas e discutidas na etapa estadual prevista para dezembro de 2011, possibilitando assim que as contribuições resultem na construção de um documento que expresse o protagonismo da comunidade escolar.
As etapas da conferência são espaços de caráter propositivo para contribuições e aprofundamentos, coerentes com o Documento-Base, as Diretrizes Curriculares Nacionais e a LDB.
Tudo está para ser feito. O ano de 2012 será um rico período e, nossas escolas, um privilegiado espaço para, coletivamente, construirmos o caminho na caminhada, com tensionamentos, dúvidas, problematizações, debates e muitos, muitos avanços que garantam a universalização do ensino médio agora, também, um direito básico da cidadania.

Links relacionados:



______________________
* Professor de História da Rede Pública Estadual  do Rio Grande do Sul, idealizador da Ação Falando de História

Conheça o Site "Políticas de Memória"



O  site “Políticas de Memória”, uma iniciativa que visa criar um espaço de debates sobre as políticas que os governos do ConeSul têm desenvolvido com a finalidade de garantir os direitos à memória, à à verdade e à justiça, além de assegurar a reparação às sociedades.


Caroline Silveira Bauer, editora do sítio eletrônico " espaço é aberto para contribuições de todas, em formato de artigos, matérias comentadas, resenhas, sinopses, etc. Sugestões de filmes, links e pautas também são muito bem-vindas. Caso tenhas publicado tua dissertação, tese ou monografia na temática da ditadura e queira divulgá-la". 





Caroline, informa também que no site  há o espaço “Banco de teses e dissertações”, maiores informações poderão ser obtidas pelo e-mail:  contato@politicasdememoria.com

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Mensagem de agradecimento do Blog FH aos 60 mil acessos


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

I Encontro Nacional PIBID e I Encontro das Licenciaturas UNISINOS



Ocorrerá nos dias 22 e 23 de março de 2012, nas depedências da UNISINOS o I Encontro Nacional PIBID Unisinos e o I Encontro das Licenciaturas UNISINOS.
O evento pretende discutir os principais desafios da docência na educação básica e proporcionar um espaço de trocas de experiências entre as instituições articipantes do PIBID, movimentando ainda as licenciaturas da Unisinos na discussão da formação de professores.

ENVIOS DE TRABALHOS


Com o objetivo de compartilhar os resultados de trabalhos realizados por alunos, professores, supervisores e coordenadores dos PIBIDs, teremos um espaço para comunicações orais, exposições de pôsteres e materiais didáticos durante o Encontro. 

O envio de trabalhos é aberto para ex participantes (alunos, professores, supervisores e coordenadores) do PIBID.

A submissão de trabalhos poderá ser feita até 05/03/2012, exclusivamente através do formulário abaixo.

INSCRIÇÕES


O I Encontro Nacional PIBID Unisinos e o I Encontro das Licenciaturas Unisinos ocorrerá nos dias 22 e 23 de março de 2012.

Para participar, inscreva-se através do formulário abaixo. A taxa de inscrição do evento é de R$10 e você terá direito a certificado de participação no evento. O boleto de pagamento será enviado a partir de fevereiro para o e-mail cadastrado na inscrição.

Alunos da Unisinos, devem informar seu número de matrícula.

Para o envio de trabalhos, acesse o formulário até o dia 05 de março de 2012.

Obs.: a participação de alunos de outras universidades  e que não participam do PIBID  se dará nas oficinas a serem realizadas no dia 23/3, das 9h às 11h30min.

Carreira do pesquisador: a difícil escolha do tema



1. MONOGRAFIA: A PRIMEIRA EXPERIÊNCIA

A monografia é a modalidade de trabalho de conclusão de curso mais comum nos bacharelados em história. Regra geral, o graduando começa a pensar nela na metade final do curso, ali pelo quinto período. As regras variam de departamento para departamento, mas a escolha do tema costuma ser difícil para o aluno.

A definição do tema de uma pesquisa deve obedecer a alguns critérios. A "relevância científica", por exemplo, costuma ser medida pela capacidade que um trabalho tem de corrigir um erro ou uma lacuna do conhecimento. Do mesmo modo, a "originalidade" do enfoque também é levada em conta quando avaliamos a importância de um trabalho. Mas essas exigências não costumam ser feitas ao bacharelando.

Muito mais importante é que ele demonstre a viabilidade de sua proposta. Comumente, o aluno deve fazer um projeto antes da monografia. É o momento da escolha do tema, da demonstração de que a pesquisa é realizável. Como fazer isso?

No caso da monografia, o interesse pessoal e a exequibilidade são os critérios que devem prevalecer. A primeira experiência de pesquisa precisa ser estimulante. Um tema "chato" pode tornar o trabalho infindável. Do mesmo modo, o bacharelando não deve se propor uma tarefa impossível: um tema muito amplo ou para o qual não haja fontes é sempre uma escolha errada.

A construção de um problema é mais difícil do que sua solução. É preciso que o aluno passe por essa experiência, uma das etapas mais importantes da produção do conhecimento. Pedir uma sugestão ao orientador pode facilitar as coisas, mas não é o melhor caminho.

Entretanto, aproximar-se dos professores cujas pesquisas sejam de seu interesse é uma boa dica para o bacharelando. É preciso ter alguma familiaridade com o assunto, ler o que já se escreveu. Do mesmo modo, também é útil frequentar jornadas de iniciação cientifica ou outros eventos desse tipo.

Outra estratégia fundamental é o recorte do tema. O nome já diz tudo: trata-se de uma monografia, não de uma tese. Digamos que você se interesse pelos temas da "ditadura militar". Isso é muito amplo. Um recorte poderia ser, então, "a propaganda política da ditadura militar". Bem, ainda é muito amplo. Que tal estudar "as campanhas de utilidade pública da propaganda política da ditadura militar"? Talvez no mestrado. Algo bem recortado seria: "o personagem Sujismundo nas campanhas de utilidade pública da propaganda política da ditadura militar".

Por que é necessário recortar tanto? Evidentemente, para viabilizar o trabalho. O recorte preciso permite identificar um corpo bem definido de fontes. Além disso, a delimitação rigorosa permite que reunamos virtualmente tudo o que já foi dito sobre o tema - algo que seria impossível se o tema fosse muito abrangente.

Definido o tema, as coisas se tornam mais fáceis: fazer um bom levantamento bibliográfico e ler o que já foi escrito sobre o assunto - essas são as etapas mais importantes. Durante essas leituras algo muito interessante acontece: nós construímos mentalmente hipóteses explicativas. Você vai controlando mais e mais a sua pesquisa e, por isso mesmo, consegue perceber nexos explicativos, analíticos.

A monografia também é um bom momento para testar sua vocação: se a busca de um tema do passado, a construção de um problema histórico e o esforço de pesquisa para resolvê-lo forem muito prazerosos, não tenha dúvida, você nasceu para ser um historiador.

Brevemente tratarei da dissertação de mestrado e da tese de doutorado.


Carreira do pesquisador: experiência profissional


Relógio solar. Ilustração: Blog Brasil
Recente
Por Carlos Fico

2. DISSERTAÇÃO: MUITO TRABALHO, POUCO TEMPO

A dissertação de mestrado, de algum modo, é mais difícil do que a tese de doutorado. Recém-saído(a) da graduação, em geral o(a) novo(a) mestrando(a) não tem muita experiência de pesquisa, nem a verdadeira dimensão das tarefas que o(a) esperam.

O curso de mestrado normalmente é feito em apenas dois anos. No programa de pós-graduação em que eu trabalho, o(a) aluno(a) tem de fazer quatro disciplinas no primeiro ano. Em uma delas, ele(a) refaz o projeto de pesquisa que apresentou na seleção. Portanto, ao término do primeiro ano, terá feito três trabalhos finais, além da reformulação do projeto de pesquisa.

No início do segundo ano, é preciso fazer o exame de qualificação, durante o qual uma banca argui o(a) mestrando(a) sobre o seu projeto, o plano de redação da dissertação e um capítulo previamente apresentado. Ou seja, ao longo do primeiro ano, além dos trabalhos finais  das disciplinas e da reformulação do projeto, é preciso encontrar tempo para redigir o capítulo que será avaliado no exame de qualificação.

Tudo isso é bastante difícil. Essa "correria" decorre do prazo imposto pela duração da bolsa de mestrado, de 24 meses. Os programas de pós-graduação cobram esse desempenho dos(as) alunos(as) para que o tempo médio de titulação não se eleve, prejudicando a avaliação do curso. O prazo do doutorado é de 48 meses, o que torna as coisas mais fáceis de certo modo.

A pesquisa propriamente dita fica bastante prejudicada no primeiro ano do mestrado. Será preciso correr no segundo, especialmente depois do exame de qualificação, que costuma ser útil em termos de dicas, mas também pode levar a correções de rumos e a modificações significativas da proposta original.

A escolha do tema da dissertação de mestrado também não costuma ser fácil. Seria conveniente aproveitar a monografia e propor um desdobramento? Se houver fontes novas e questões significativas que ainda possam ser abordadas, essa opção pode facilitar as coisas, afinal, o(a) aluno(a) estará familiarizado(a) com o tema e a bibliografia. O risco é o da especialização precoce: permanecer com um mesmo tema na graduação e na pós pode impedir uma formação intelectual mais ampla - e a nossa profissão depende muito de erudição.

Uma questão essencial é a definição das fontes, dos documentos: como a pesquisa terá de ser feita em um prazo recorde, convém delimitar bem o corpus. Fontes em excesso, carência de documentos, variedade muito grande de tipos documentais, arquivos situados em cidades longínquas - eis alguns erros a serem evitados.

Convém escolher um(a) orientador(a) diligente. Como se trata de uma primeira experiência de pesquisa de maior fôlego, é normal que surjam dificuldades, de modo que é muito útil contar com um(a) orientador(a) que corrija, esteja presente, dê retorno rápido. Um(a) pesquisador(a) renomado(a), que viaje muito ou tenha muitas tarefas pode não ser a melhor opção.

Uma boa dissertação de mestrado deve ser a demonstração de que o(a) candidato(a) ao título de mestre é capaz de produzir um bom exercício de pesquisa. Ela não precisa ser uma tese totalmente original, mas deve ter um problema bem delimitado, documentação pertinente e uma escrita no mínimo razoável.

Patrimônio Arqueológico

A Arqueóloga Niède Guidon numa escavação em sítio arqueológico
no Parque Nacional da Serra da Capivara no Estado de Piauí
Divulgação/Imagem: FUMDHAM
Todos os sítios arqueológicos são definidos e protegidos pela Lei nº 3.924/61, sendo considerados bens patrimoniais da União. O tombamento de bens arqueológicos é feito excepcionalmente, por interesse científico ou ambiental.

São considerados sítios arqueológicos as jazidas de qualquer natureza, origem ou finalidade, que representem testemunhos da cultura dos paleoameríndios; os sítios nos quais se encontram vestígios positivos de ocupação pelos paleomeríndios; os sítios identificados como cemitérios, sepulturas ou locais de pouso prolongado ou de aldeamento "estações" e "cerâmios; e as inscrições rupestres ou locais e outros vestígios de atividade de paleoameríndios. Atualmente, cerca de 19 mil sítios arqueológicos já foram identificados pelo Iphan.

Na pesquisa é possível consultar as informações sobre os sítios arqueológicos brasileiros cadastrados no Sistema de Gerenciamento de Sítios Arqueológicos do Iphan.
Bens arqueológicos tombados
Conheça o catálogo de cerâmicas históricas
Sistema de Gerenciamento de Patrimônio Arqueológico 

Fonte: IPHAN Disponível em:  http://portal.iphan.gov.br/portal/montarPaginaSecao.do?id=12944&retorno=paginaIphan

Link relacionado:


Patrimônio Arqueológico, por Rossano Lopes Bastos. Dicionário de Direitos Humanos.  Disponível em: http://www.esmpu.gov.br/dicionario/tiki-index.php?page=Patrim%C3%B4nio+arqueol%C3%B3gico

Sítios Arqueológicos. Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM). Disponível em: http://www.fumdham.org.br/sitiosarq.asp

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Hoje na História 11 de janeiro de 2012: morre aos 48 anos Whitney Houston



Matéria da GloboNews durante a cobertura da morte da cantora e atriz Whitney Houston (1963-2012), que faleceu subitamente na noite deste sábado, 11/02/2012, em Los Angeles, aos 48 anos.

Dados sobre  Whitney Houston:

- Whitney foi recordista de vendagem de discos nas décadas de 80/90, tendo dezenas de hits nas paradas de sucesso dos EUA e também com vários sucessos no Brasil.

- Atuou também atuou em filmes, tendo sido o mais bem-sucedido, "O Guarda Costas", de 1992, em que contracenou com Kevin Costner. A trilha deste fillme, em que Whitney cantava o tema "I will always love you", é até hoje uma da 10 mais vendidas de todos os tempos.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Conheça o Site "Documentos Revelados"


Está sendo lançado o site DOCUMENTOS REVELADOS, segundo Aluízio Palmar: "Trata-se de um espaço com documentos produzidos pela ditadura civil-militar e também pelas  organizações que resistiram à tirania implantada no Brasil no período 1964 à 1988."

Palmar ainda ressalva que o site é: "É uma montoeira de documentos, que eu fui juntando com o passar dos anos e agora estou digitalizando e expondo. E assim, socializo meu acervo, pois defendo que colocando a Memória à vista, facilitando e popularizando o acesso aos documentos dos arquivos da ditadura estamos incentivando o debate e abrindo caminho em direçao à Justiça e à Verdade"

O site está sendo atualizado diariamente e os documentos podem ser localizadas nas pastas correspondentes ao tema (categorias e sub-categorias).
Seguem as últimas atualizações.

Documento do SNI com relação de membros do PCBR

A resistência estudantil vista pela repressão

Ex-soldado denuncia advogado por torturas no período da ditadura

Forças Armadas e consulados unidos na repressão

Jornal Resistência, do MR8

Um pouco sobre Arqueologia: entrevista com o arqueólogo Paulo Zanettine



quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Edital de Seleção do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural 2012

Mediante manifestações de interesse, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan informa que o Edital de Seleção do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural 2012 será divulgado no primeiro semestre, para o ingresso dos candidatos selecionados no dia 1º de agosto de 2012.

O Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural é um Programa do Iphan, que deu continuidade ao Programa de Especialização em Patrimônio do Iphan (PEP), cuja formação em nível de pós-graduação integra atividades práticas supervisionadas e aulas teórico-metodológicas com o objetivo de especializar profissionais de diversas áreas do conhecimento para atuarem no campo da Preservação do Patrimônio Culural.

Os candidatos selecionados receberão bolsas de estudos para participarem, ao longo de dois anos, das práticas de preservação nas unidades do Iphan, supervisionados pelos técnicos da Instituição, e de atividades que visam ao aprendizado teórico-metodológico, através de módulos de aulas, oficinas e seminários nacionais, que reúnem todos os alunos, de leituras dirigidas e seminários internos nas unidades de lotação. Para obtenção do grau de mestre é exigida a apresentação de um trabalho, a ser defendido perante uma banca examinadora, orientado pelo corpo docente do Mestrado, cujo objeto de estudo é definido a partir de uma questão identificada no cotidiano das práticas supervisionadas.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

VI Simpósio Nacional de História Cultural - Inscrições abertas para comunicações


A Comissão Organizadora do VI Simpósio Nacional de História Cultural informa: em 27 de janeiro de 2012 terá início o prazo para submissão de comunicações em Simpósios Temáticos. 31 de março de 2012 é a data de encerramento do prazo para submissão de comunicações. Outras informações poderão ser obtidas no site: http://gthistoriacultural.com.br/VIsimposio/inscricao-comunicacao.php?menu=3. Sem mais para o momento, agradecemos, antecipadamente, pelo apoio na divulgação dessas informações.

Simpósios temáticos propostos por membros do GT História Cultural – ANPUH-RS:

ST 19 - Olhares Sobre a Televisão: Memórias, Narrativas e Visibilidades Sob a Perspectiva da História Cultural

Coordenadores: Prof. Dr. Cláudio de Sá Machado Júnior (UFPel) e Prof.ª Dr.ª Miriam de Souza Rossini (UFRGS)

ST 25 - As Experiências Ditatoriais: Maneiras de Viver, Sentir e Narrar

Coordenadora: Prof.ª Dr.ª Carla Simone Rodeghero (UFRGS)

Maiores informações:
Site do GT História Cultural : www.ufrgs.br/gthistoriaculturalrs E-mail: gthistoriacultural@anpuh-rs.org.br

Rádio Gaúcha, completa 85 anos hoje

A rádio mais antiga do RS, em funcionamento, está completando hoje 85 anos. No ano passado, fizemos um post em homenagem a esta data "Feliz Aniversário Rádio Gaúcha".  Esta data é importante para o Rio Grande do Sul, haja visto, que poucas instituições com origem sul riograndense estão em pleno funcionamento e tão longevo.  

Mais uma vez, FELIZ ANIVERSÁRIO RÁDIO GAÚCHA

Links Relacionados

Mais:
Retrospectiva dos 84 anos da Rádio Gaúcha

Fonte:
Blog Caros Ouvintes - 80 anos da Rádio Gaúcha. Disponível em:http://www.carosouvintes.org.br/blog/?p=4148
Blog História do Rádio Joseene - História da Rádio Gáucha. Disponível em:http://historiadoradiojoseense.blogspot.com/2010/06/historia-da-radio-gaucha.html
Dóris Fagundes Haussen. Rádio brasileiro: uma história de cultura, política e integração. Disponível em:http://www.pucrs.br/famecos/radiofam/downloads/radio_brasileiro.pdf

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Blog Hoje na História faz menção ao falecimento de Paulo Francis


Foto: Paulo Francis
Reprodução:  Blog Clipping de André Setaro

"Gosto que me leiam e saibam o que acho das coisas. É uma forma de existir. Trabalho é a melhor maneira de escapar da realidade" Paulo Francis

O polêmico jornalista Paulo Francis faleceu no dia 04 de fevereiro de 1997, porém o Blog Hoje na História devido a problemas técnicos, publica o post no 7 de fevereiro de 2012, que fora programado para 4 de fevereiro.

Leia o post completo, clique aqui

Mais:


Reportagem de Paulo Francis ao programa Fantástico (TV Globo, 1994)




Um pouco sobre a Guerrilha do Araguaia

O que foi a Guerrilha do Araguaia?

Mapa: Reprodução Blog Guerrilha do Araguaia
A Guerrilha do Araguaia foi um agrupamento de militantes contrários à ditadura militar que acreditavam que a revolução socialista só teria sucesso se acontecesse no interior rural do Brasil.

Os militantes, na maioria membros do PCdoB, escolheram a região no sul do Pará, nas divisas entre o Maranhão e Tocantins. A área, de aproximadamente 7.000 km², foi palco de treinamentos e ações dos militantes, que pegaram em armas e criaram um esquema paramilitar para realizar suas operações.
Entre 1972 e 1975, a Guerrilha do Araguaia foi alvo de uma grande ação do exército, que queriam reprimir e acabar com o movimento.

Durante as ações militares, os agentes de repressão da ditadura teriam cometido graves violações aos direitos humanos, como prisões ilegais e execuções de guerrilheiros e moradores locaism, condenados como “colaboradores”.

Os militares são acusados de sessões de tortura, como estupros e mutilações, além desaparecimento forçado de diversos militantes.

Estima-se que pelo menos 70 dos desaparecidos políticos no Brasil tenham sido mortos por militares durante as ações de repressão no Araguaia. Entre os que sobreviveram depois da ação militar, está o deputado federal José Genoino, que foi detido em 1972. 


Programa Caminhos da Reportagem: A Guerrilha do Araguaia


Parte 1


Parte 2



Parte 3


Parte 4


Parte 5


Parte 6


Referências


Texto:  Portal R7. Extraído do Blog Guerrilha do Araguaia. Disponível em: http://guerrilhaaraguaia.blogspot.com/2010/09/em-construcao.html

Vídeos: Programa Caminhos da Reportagem,  TV Brasil - Guerrilha do Araguaia. Reportagem: Emerson Pena e Paula Simas e edição: Floriano Filho

Fórum da Revista de História da Biblioteca Nacional, debate sobre lista de acusados de tortura de Luis Carlos Prestes durante a Ditadura Militar no Brasil

Por Noé Gomes
Imagem: Reprodução História Digital
A Revista de História da Fundação Biblioteca Nacional no seu fórum, com a discussão 'Lista dos torturadores: a favor ou contra ?" suscita o debate sobre a divulgação dos torturadores a partir do do período da Ditadura Militar no Brasil (1964-1985), como explica Alice Melo, repórter do períodico:  "No final da matéria, que tentava explicar de onde saiu uma lista com 233 nomes de possíveis torturadores do regime militar - encontrada no acervo pessoal de Luiz Carlos Prestes (doado ao Arquivo Nacional)-, havia a publicação na íntegra deste documento".

Acesse a discussão no fórum da Revista de História, clique aqui

Link relacionado: 
A lista dos acusados de tortura Disponível em: http://www.revistadehistoria.com.br/secao/na-rhbn/a-lista-de-prestes

200 anos de Charles Dickens serão celebrados com festa

A rainha Elizabeth fará uma festa em homenagem a ele no Palácio de Buckingham. Em Buenos Aires, personalidades do mundo da cultura vão se reunir em um antigo orfanato para fazer uma leitura de suas obras.

Charles Dickens pode ter morrido em 1870, mas as legiões de admiradores ao redor do mundo vão se unir na terça-feira que vem (dia 7) e nos dias seguintes para comemorar o 200º aniversário de nascimento do titã da ficção inglesa.

Foto: Reprodução Reuter

Objetos de Charles Dickens são exibidos em museu em homenagem ao escritor, em Londres. De certa forma, a história do autor de clássicos familiares como "Um Conto de Natal", "A Casa Abandonada" e "Um Conto de Duas Cidades" é bastante moderna.

A passagem da infância pobre, que influenciou profundamente a obra e o pensamento de Dickens, ao reconhecimento internacional por seus romances guarda semelhanças com a história de J.K. Rowling, considerada a primeira escritora bilionária do mundo.

Em termos de vendas, os livros dele ofuscam Harry Potter ou qualquer outro fenômeno editorial da modernidade - algumas estimativas dizem que "Um Conto de Duas Cidades" é o romance mais vendido da história, com mais de 200 milhões de exemplares.

Leia também: Os dez livros mais caros do mundo

As histórias de personagens como Samuel Pickwick, o órfão Oliver Twist e o avarento Ebenezer Scrooge permanecem sendo editadas ou contadas em centenas de filmes, séries de televisão e peças, e não há sinal de que as adaptações estejam diminuindo.

O diretor Mike Newell trabalha na mais comentada nova versão para o cinema da obra de Dickens, com Helena Bonham Carter e Ralph Fiennes em "Great Expectations".

O apelo, dizem os especialistas, é que além de escrever histórias que prendem a atenção, Dickens permanece relevante hoje em dia.

"Ele te surpreende constantemente, te choca, te faz mexer, mas para mim a chama da raiva com relação à desigualdade, à pobreza e à crueldade é o que persiste para mim", disse Sarah Phelps, que escreveu uma versão para a TV BBC de "Grandes Esperanças".

"Todo escritor quer que sua obra sobreviva", disse ela à Reuters. "Acho que ele estaria satisfeito porque o que ele sentia com força naquela época as pessoas ainda sentem agora."

As experiências de Dickens de ter trabalhado em uma fábrica quando criança, enquanto seu pai estava preso por dívidas não pagas, alimentaram sua ambição e inspiraram alguns de seus personagens e cenários mais famosos, provavelmente incluindo Fagin em "Oliver Twist".

Seus senso de revolta com a injustiça social na Grã-Bretanha vitoriana atravessa todo o seu trabalho e ajuda a explicar seu apelo às gerações que vieram depois.


Links Relacionado:

Charles Dickens nasceu há 200 anos - Jornal Hardmusica Disponível em: http://hardmusica.pt/noticia_detalhe.php?cd_noticia=11885

Mais:


Doodle da Google em Homenagem a Charles Dickens

Google faz homenagem a Charles Dickens no Doodle -  Site "Sobre Isso". Disponível em: http://sobreisso.com/2012/02/07/charles-dickens-recebe-homenagem-no-google-doodle/

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Quilombo dos Palmares

Os 415 anos do símbolo da resistência negra estão sendo celebrados até está segunda, em Alagoas

Reprodução Ministério da Cultura (MINC)
Uma celebração ecumênica a ser conduzida por religiosos de matriz africana servirá para relembrar a última batalha do Quilombo dos Palmares, em Alagoas, ocorrida em 6 de fevereiro de 1694, ou seja, há 318 anos.  O evento será realizado pela Representação da Fundação Cultural Palmares no estado alagoano e faz parte do projeto De Volta a Angola Janga. O evento reunirá os descendentes e herdeiros do Quilombo dos Palmares.

O encontro está marcado para o próximo domingo, 5 de fevereiro, às 22h, no sítio Recanto, localizado na Serra da Barriga e se estende até a segunda-feira, dia 6. Neste ano, também comemora-se 415 anos de fundação do Quilombo dos Palmares, que resistiu por quase um século, tornando-se o maior centro de resistência negra no colonialismo. A nação erguida por africanos de diferentes etnias no Brasil foi batizada por eles de Angola Janga, que significa “pequena Angola”.

Reprodução MINC
Após o rito religioso, haverá uma caminhada de aproximadamente 4 quilômetros, intercalada por momentos de reflexão sobre intolerância religiosa, violência contra o jovem negro e a situação dos quilombos de Alagoas. Em cada parada, serão lidos poemas do ativista Abdias Nascimento, falecido em 2011, e do poeta Jorge de Lima, que viveu até 1953.

A chegada ao Platô do Parque Memorial Quilombo dos Palmares está prevista para acontecer na manhã de segunda-feira, 6, e nesse dia haverá uma série de atividades. A ideia é que, dessa programação, participem, além dos remanescentes, religiosos de matriz africana, sobreviventes do episódio que ficou conhecido como ‘Quebra de Xangô’. O fato aconteceu no dia 2 de fevereiro de 1912, quando todos os terreiros de umbanda e candomblé de Maceió foram derrubados a partir de uma ordem governamental.

Leia mais

(Texto: Marcos Agostinho, Ascom/MinC)
(Imagens: Fundação Cultural Palmares)

Fonte: Ministério da Cultura. Disponível em: http://www.cultura.gov.br/site/2012/02/03/quilombo-dos-palmares/

domingo, 5 de fevereiro de 2012

1966 - O usurpador AI-3

Primeira página do Jornal do Brasil.
Domingo, 6 de fevereiro de 1966
Por: Lucyanne Mano

"O futuro Presidente da República não terá compromissos com o eleitorado que ficará à margem da sua escolha; terá, por conseguinte, que se comprometer prévia e leamente com um programa a ser honrado durante a sua gestão... Aqueles como nós, que enfrentaram riscos e sacrifícios para a deposição do Governo anterior, sentirão-se recompensados se for este o rumo adotado pelos responsáveis do movimento de 31 de março.

Caso contrário, lamentando a inutilidade dos riscos assumidos e dos esforços despendidos, manteremos nossas posições, alheios a nome e a injunções pessoais, com a esperança de que chegará o dia em que a classe governante saberá colocar, acima dos seus interesses, o interesse do Brasil".
Jornal do Brasil



Baixado pelo Presidente da República [grifo nosso], Castelo Branco, o Ato Institucional nº 3 (AI-3) foi aprovado pelo Conselho de Segurança Nacional. Entre suas disposições, confirmava a eleição indireta de Governadores - tomando do povo o direito de escolher os governantes de seu estado, e a direta dos Prefeitos. Permitia, no capítulo das inelegibilidades, que o General Costa e Silva permanecesse candidato à Presidência da República sem deixar o Ministério da Guerra. Decidia-se, ainda que, ficariam excluídos de apreciação judicial os atos praticados com fundamento no presente Ato Institucional e nos seus atos complementares. Não se poderia contestar judicialmente a legalidade ou não das decisões tomadas com base no AI-3.

Era o sinal de que aos poucos o regime estava endurecendo.

Em 3 de outubro daquele ano, com abstenção de toda a bancada do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o Ministro da Guerra, General Costa e Silva, foi eleito indiretamente presidente do país.

As medidas contraditórias do AI-3


O decreto do AI-3 promoveu pronta indignação da oposição que questionou a coerência de pelo menos duas de suas medidas.

Adotava a eleição indireta depois de haver o próprio Castelo Branco apresentado a eleição direta do ano anterior como o fato político mais positivo de seu governo.

E transferia do povo para as Assembléias Legislativas desmoralizadas pelo poder governamental o direito de escolher Governadores, querendo o Presidente da República, portanto, constituir Governos estaduais incorruptíveis através de corpos eleitorais por ele mesmo denunciados como corruptos.

Fonte: Blog Hoje na História/CPDOC - Jornal do Brasil. Disponível em: http://www.jblog.com.br/hojenahistoria.php?itemid=6955

sábado, 4 de fevereiro de 2012

XIII Encontro Estadual de História - ANPUH/PR

XIII ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA
A ESCRITA DA HISTÓRIA
Londrina - Paraná
Universidade Estadual de Londrina

12 A 15 DE OUTUBRO

12
13
14
15
10:00 – 12:00

Mini Cursos
Mini Cursos
Mini Cursos
Reuniões GTs
14:00 -  18:00

Credenciamento
STS
STS
STS
19:00

Abertura
Conf. 1
Conf 2
Lançamento de Livros/
Confraternização
Assembleia

Conf. Encerramento



CRONOGRAMA

06/02 a 06/03 – Proposição de Simpósios Temáticos e Mini Cursos
19/03 – Divulgação na homepage dos STs e Mini Cursos aprovados 
20/03 a 20/04 – Inscrições de comunicações nos Simpósios Temáticos e de Painéis de Iniciação Científica
20/05 –  Divulgação dos trabalhos aprovados. Emissão das Cartas de Aceite
20/07 – Prazo final para a entrega dos textos finais.

NORMAS GERAIS

SIMPÓSIOS TEMÁTICOS

Os associados, quites com a anuidade 2011, com titulação de Doutor, poderão  propor Simpósios Temáticos (ST) conforme suas áreas de investigação e interesse. Doutores não associados poderão propor STs em conjunto com um associado. As propostas devem ser apresentadas por dois pesquisadores de instituições diferentes e serão avaliadas pela diretoria e pelo comitê científico do evento quanto à adequação à temática do Encontro, consistência e viabilidade. Eventualmente, a diretoria e a comissão organizadora poderão sugerir fusão de propostas similares. Uma vez aprovadas as propostas, os simpósios temáticos serão divulgados no portal do evento na  Internet e serão abertas as inscrições de trabalhos. A realização do ST dependerá de um número mínimo de cinco inscritos. A seleção dos trabalhos inscritos e a organização e coordenação de cada simpósio temático ficarão a cargo dos respectivos proponentes.
A diretoria e a comissão organizadora apenas repassarão os resumos, indicação do local e a programação geral do evento. A eventual aprovação de um ST não implica o financiamento de seus participantes. As propostas deverão ser enviadas para o email: anpuhpr@uepg.br até o dia 06 de março próximo de acordo com o modelo abaixo:

XIII Encontro Estadual de História
Proposta de Simpósio Temático

Título
Identificação dos dois proponentes (nome, titulação, e-mail, instituição)
Ementa detalhando a proposta, com no máximo 1500 caracteres (com espaço).

MINI CURSOS

Os associados quites com a anuidade 2011, poderão propor Mini Cursos (MC) conforme suas áreas de investigação e interesse.  Poderão também propor Mini Cursos profissionais não associados, doutorandos e mestrandos. As propostas devem ser apresentadas por dois pesquisadores de instituições diferentes e serão avaliadas pela diretoria e pelo comitê científico do evento quanto à adequação à temática do Encontro, consistência e viabilidade.  Uma vez aprovadas as propostas, os mini cursos serão divulgados no portal do evento na Internet e serão abertas as inscrições. A realização do Mini Curso dependerá de um número mínimo de cinco inscritos. A eventual aprovação de um MC não implica o financiamento de seus
participantes. As propostas deverão ser enviadas para o email: anpuhpr@uepg.br até o dia 06 de março próximo de acordo com o modelo abaixo:


XIII Encontro Estadual de História
Proposta de Mini Curso

Título
Identificação dos dois proponentes (nome, titulação, e-mail, instituição).
Ementa detalhando a proposta, com no máximo 1500 caracteres (com espaço).


OBSERVAÇÃO: Simpósios Temáticos e MiniCursos  aprovados somente serão autorizados a funcionar mediante sua efetivação através do pagamento da anuidade de 2012+ inscrição ( no caso do associado) e da inscrição ( no caso de não associado). 


PAINÉIS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

Os estudantes de graduação poderão propor painéis de Iniciação Científica no XIII Encontro Estadual de História: A escrita da História . Para isto deverão remeter resumo de 15 linhas, com título, nome do proponente, nome do orientador e instituição para o e-mail: anpuhpr@uepg.br até o dia 06 de março próximo.   Uma vez aprovado pela Comissão Científica, os painéis deverão ser confeccionados de acordo
com as instruções abaixo. 

Formatação
Os painéis devem ser formatados conforme regras abaixo. Lembre-se que deve ser possibilitada a leitura do poster a uma distância de 1,5m. 

Tamanho: 0,90m (largura) x 1m (altura).
Evento, Título, Autores, Instituição, Agência Financiadora (se houver) e (03)
Palavras-Chave:
Relacionar, nessa ordem, na parte superior do painel. Exemplo:

XIII ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA: A ESCRITA DA HISTÓRIA
Painel: A escrita da História na obra de João do Rio João da Silva – UEL / CNPq
Palavras chave: Ciência, Tecnologia, Defesa.
Título e Unidade: Letras maiúsculas, altura mínima de 1,5 cm (tamanho de letra impressa).
Autores e Agência Financiadora: Letras minúsculas com as iniciais em maiúsculo, altura mínima de 1 cm (tamanho de letra maiúscula impressa).
Sugere-se adicionar e-mail dos autores.
Palavras-Chave e Subtítulos: Letras minúsculas com as iniciais em maiúsculo, altura mínima de 1 cm (tamanho de letra maiúscula (impressa). As palavras chave deverão ser
separadas por hífen.
Texto: Altura mínima das letras de 6mm. Recomenda-se que as ilustrações (fotos, esquemas, tabelas, equações) ocupem no mínimo 40% da área total. 
Utilizar espaçamento duplo entre parágrafos.
Cores: Evitar cores de fundo fortes. Se utilizar cor, dar preferência a cor única e tonalidade média.
Conteúdo do Painel
Introdução: A importância do assunto deve ser destacada resumidamente na forma de introdução ou equivalente.
Metodologia: Dar uma ideia compacta da metodologia ou forma de abordagem da pesquisa. Resultados e Discussão: Indicar apenas os de maior destaque na forma de tópicos.
Conclusões.
Referências Bibliográficas: Relacionar as ( 05 obras principais) referentes ao trabalho.
__________________________________________________________________
OBSERVAÇÕES
1. As propostas aprovadas somente serão efetivadas após o pagamento da inscrição no evento.
2. As atividades somente ocorrerão durante o XIII EEH mediante a quitação por parte dos proponentes da anuidade de 2012.
3. Após a aprovação dos STs Haverá edital específico de chamada para apresentação de trabalhos.

INVESTIMENTOS
Modalidades de participação

INVESTIMENTOS
MODALIDADES DE PARTICIPAÇÃO
Categoria
Anuidade
Inscrição
Total

Associado
90,00
50,00
140,00
Proponente ST e MC, Apresentação de trabalhos em ST, participação em MC, Ouvinte
Profissional não associado

200,00
200,00
Proponente ST e MC, Apresentação de trabalhos em ST, participação em MC, Ouvinte
Professor da Rede Pública e Privada do Ensino Fundamental e Médio

50,00
50,00
Apresentação de trabalhos em ST, participação em MC, Ouvinte
Estudante de Graduação

50,00
50,00
Participação em MC, Ouvinte
Proposição de Painéis de IC


Links relacionados - Site da ANPUH-PR: