sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Série Lembranças de 1964: A posse de Jãnio Quadros


quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Série Lembranças de 1964: A Posse de JK


quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Série Pensadores: Platão


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Indicação de Leitura: “A Herança Africana no Brasil e no Caribe”


Livro “A Herança Africana no Brasil e no Caribe” disponível para download gratuito. A obra foi organizada por Carlos Henrique Cardim e Rubens Gama Dias Filho. 

Faça o download em:  http://goo.gl/U5bHk5

Fonte: GT GT Religiões e Religiosidade - ANPUH/RS. Disponível em: http://gthrr-rs.blogspot.com.br/2014/01/livro-heranca-africana-no-brasil-e-no.html

domingo, 26 de janeiro de 2014

BBC Brasil publica reportagens sobre a presença nazista no Btasil

Reportagens da BBC Brasil tratam da presença nazista no Brass

A BBC Brasil publicou uma série de reportagens sobre o Nazismo no Brasil, que teve em seus domínios o maior partido nazista fora do território alemão, a Aliança Integralista Brasileira liderada por Plínio Salgado. A primeira matéria traz  Brasil traz relatos impressionantes de ex-escravos  em fazenda nazista no interior de São Paulo. A A reportagem de  Gibby Zobel, pode ser lida neste link

O período informa que  os  diários de Josef  Mengele no Brasil  serão leiloados nos EUA, a matéria está publicada neste link, segundo a reportagem os diários trazem relatos autobiográficos, poemas e pensamentos do "Anjo da Morte" que morreu no Brasil em 1979 no litoral de São Paulo

Outra matéria de grande importância é sobre o engenheiro naturalizado brasileiro Thomas Venetianer de 75 anos, sobrevivente dos campos de concentração de  Auschwitz e sua relação com  e Laszlo Csatary, que hoje tem 97 anos, considerado o criminoso nazista mais procurado do mundo e preso há um mês em Budapeste, Leia a matéria neste   link. Também destacamos a reportagem intitulada Filhos e netos de nazistas relatam trauma de lidar com passado sombrio. 

Por fim, a BBC Brasil noticia que a Rainha Silvia da Suécia pede investigação sobre passado nazista e sobre os supostos laços nazistas de seu pai, no período em que ele viveu na Alemanha e no Brasil, nos anos 1930 e 1940. 

São reportagens que nos chocam e nos impressionam. Mas que são importantes para a compreensão da relação do Brasil e a maior potência nazista. a Alemanha.



sábado, 25 de janeiro de 2014

Série Pensadores: Karl Marx


Mudança no Blog Falando de História


A partir de hoje, o Blog Falando de História passará a ser acessado em: www.blogfalandodehistoria.com.
Quem digitar http://falando-historia.blogspot.com será automaticamente redirecionado 
Também há mais um endereço de acesso ao blog: http://blog.falandodehistoria.com.br 

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

A banalização da história


Por: Emir Sader

Para Marx, a História é a única ciência social, não porque exclua as outras, mas porque as integra. A Historia não é historiografia, a visão redutiva dos fatos, das datas, dos personagens.

Historicizar um fenômeno é entender como ele foi gerado, em todos os seus aspectos - economico, social, politico, cultural -, como ele se reproduz – conforme suas dimensões objetivas e subjetivas -  e como ele foi ser transformado. Em suma, como se produz a historia humana e como os homens, que produziram, inconscientemente, suas condições de existência e sua própria consciência, podem transformá-la, transformando-se a si mesmos.

Historicizar é desnaturalizar, descontruir toda forma de fatalismo, de aceitação da realidade como ela é. É encontrar os fios que articulam a realidade, para poder influenciar na sua transformação, pela prática concreta e pela consciência humana que, transformada em força material, adquire capacidade de modificação, de humanização do mundo.

Há algum tempo passaram a proliferar livros de “história” no Brasil, num país tão “sem  história”, tão desacostumado a pensar a sua história, tão pouco convidativa que ela parece ser, como foi ensinada na escola.

Recontar, como se fosse telenovela, episódios como a chegada da monarquia portuguesa ao Brasil – fugindo das tropas napoleônicas – a própria proclamação do pacto de elite pelo qual a independência não introduzia a República no Brasil, mas uma monarquia, e outros episódios como esses. Querem passar a impressão que estão impregnados de história, na sua forma mais tradicional – estudo do passado.

Relatam, mas não explicam nada. Nenhum desses episódios permite entender o que foi o colonialismo no Brasil, como  a exploração do país se apoiou em trabalho escravo. Os dois pilares indispensáveis para entender a história do Brasil, segundo o seu maior historiador, Caio Prado Jr., estão ausentes: o colonialismo e a escravidão, que nos fundaram como país e se tornaram elementos indispensáveis para compreender o país, estão ausentes. Os personagens parecem representar a si mesmos e não a interesses históricos que os transcendem.

Desmoralizam ao invés de reivindicar a história. Vulgarizam ao invés de aprofundá-la. Servem para vender livros e a ilusão de que os incautos que os compram e os leem estão se ilustrando e adentrando na história do país. 

Naturalizam ao invés de historicizar, esvaziam de conteúdo histórico os episódios, para transformá-los em banais episódios factuais, protagonizados por personagens de teatro e não por encarnações de relações sociais. Uma operação contra a história como método de desalienação, de compreensão do mundo, em nome da história.

Texto extraído do Blog de Emir Sader em: http://www.cartamaior.com.br 
Para ler o texto diretamente no blog referido, clique aqui

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

21 de janeiro, morre Lenine, líder russo e influente personalidad e do século XX

Vladimir Ilitch nasceu em Simbirsk, a 22 de abril de 1870. além de revolucionário e chefe de Estado, que esteve na origem da Revolução Russa de 1917. Lenine liderou o Partido Comunista do seu país e foi o primeiro presidente do Conselho dos Comissários do Povo da URSS. 

Foi um teórico que inspirou os partidos comunistas de todo o mundo, como defensor da Ética de Estado, uma corrente teórica chamada ‘leninismo’. A história da Rússia assenta em Lenine, visto por diversos historiadores como a personalidade mais influente do século XX. Lenine morreu em Gorki, a 21 de janeiro de 1924, data que hoje se assinala. 

Neste dia, em 1790, a Assembleia Constituinte francesa proclama o princípio da igualdade dos cidadãos perante a lei. Também a 21 de janeiro, no ano de 1899, nasce a Opel, três anos antes de ser fundado o Partido Comunista Italiano. 

O primeiro voo comercial do histórico Concorde ocorre neste dia, em 1976, e Baracko Obama toma posse como Presidente dos EUA, para o primeiro mandato, em 2009, após oito anos de liderança de George W. Bush. 
Nasceram neste dia Francisco Ferreira Drummond, historiador português (1796), Christian Dior, estilista francês (1905), Benny Hill, ator e humorista inglês (1924), Plácido Domingo, tenor espanhol (1941), Marco Paulo, cantor português (1945), Paul Allen, um dos fundadores da Microsoft (1953) e Kim Schmitz, empresário alemão, fundador do Megaupload (1974) Morreram neste dia Vasco Núñez de Balboa, explorador espanhol (1519), Luís XVI de França (1793), Jean Chalgrin, arquiteto francês (1811), Lenine, revolucionário russo (1924) e George Orwell, escritor e autor inglês (1950).

domingo, 19 de janeiro de 2014

Especial Elis Regina na Rádio Contraste


segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Lembranças de 1964: Registro do Arquivo Nacional da Posse de JK e Jango

Podcast Lembranças de 1964 - Terceiro Episódio

domingo, 12 de janeiro de 2014

Série Lembranças de 1964: Henrique Teixeira Lott


O  terceiro episódio do podcast "Lembranças de 1964" que vai ao ar nesta segunda na Rádio Contraste, iremos  falar do início da era populista na política brasileira iniciada com Juscelino Kubitschek‎. Já na sua posse houve uma tentativa de golpe, impedida por Henrique Teixeira Lott, personagem fundamental para o funcionamento da democracia no Brasil.

Para aqueles que querem conhecer mais sobre a história de vida deste grande militar e político indicamos os seguintes links abaixo:


sábado, 11 de janeiro de 2014

A História do Brasil segundo os estadunidenses



Documentário A História do Brasil em 15 minutos


Documentário com animação e locução contando a história do Brasil,resumido em 15 minutos, a contar de1822 aos dias de hoje, abordando o desenvolvimento, politica, arte, imigração etc...!

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Mensagem de Agradecimento


Podcast Lembranças de 1964 - Segundo Episódio

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

O8 de janeiro - Dia do Fotógrafo


Série Lembranças de 1964 - Reportagem Histórica

Podcast Lembranças de 1964 - Primeiro Episódio



Confira o primeiro episódio da Série Lembranças de 1964
Clique neste link: https://soundcloud.com/rdcontraste/eps-dio-1-democracia-serie

Doodle do Google homenageia a escritora Simone de Beauvoir

Doodle do Google celebra os 106 anos do nascimento da escritora
Foto: Reprodução
O Google homenageia com um doodle a escritora francesa Simone de Beauvoir, que completaria 106 anos nesta quinta-feira. A página inicial do Google mostra um desenho da escritora com a imagem do Le Café de Flore, local onde Beauvoir e o também escritor Jean-Paul Sartre se reuniam. Simone de Beauvoir nasceu no dia 9 de janeiro de 1908, em Paris (França) e faleceu no dia 14 de abril de 1986, aos 78 anos, em Paris (França). Anos mais tarde, ela estudou matemática no Instituto Sainte-Marie e depois cursou filosofia na Universidade de Paris. 

Em 1929 fez uma apresentação sobre Leibniz. Nesta época ela conheceu filósofos e escritores como Maurice Merleau-Ponty, René Maheu e Jean-Paul Sartre. Simone de Beauvoir escreveu mais de 20 livros 

Foto: Reprodução Simone de Beauvoir escreveu mais de 20 livros Foto: Reprodução 

Escreveu romances, monografias sobre filosofia, política, sociedade, ensaios, biografias e uma autobiografia. Ao todo, Simone de Beauvoir lançou 21 livros, sendo que entre os mais famosos estão: A convidada (1943), O sangue dos outros (1944) e Os mandarins (1954), este último recebeu o Prêmio Goncourt. Beauvoir foi uma das precursoras do movimento feminista. Os doodles do Google O Google costuma comemorar datas importantes para a humanidade, como aniversários de invenções e personalidades ligadas à cultura e à política, por exemplo, com customizações do logo na página inicial do site de buscas. O primeiro doodle surgiu em 1998, quando os fundadores do Google criaram um logotipo especial para informar aos usuários do site que eles estavam participando do Burning Man, um festival de contracultura realizado anualmente nos Estados Unidos. O sucesso foi tão grande que hoje a companhia tem uma equipe de designers voltada especialmente para a criação dos logotipos especiais. Já foram criados mais de 300 doodles nos Estados Unidos e mais de 700 para o resto do mundo. 

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Novidade para 2014