domingo, 7 de julho de 2013

7 de julho de 1990 – Brasil se despede de Cazuza

Por: Alice Melo



Havia meses que o menino “exagerado” da Zona Sul carioca despira a fantasia sonhadora, irreverente e boêmia que o acompanhou durante a sua curta e intensa vida. O menino virara adulto. Sua figura exuberante deu lugar ao aspecto desamparado, à silhueta magérrima que lhe acompanhou até o fim, anunciado três anos e meio antes, quando a AIDS lhe mostrou a sua cara. Numa era em que a AIDS era tabu, Cazuza pregava a liberdade sexual, a multiplicidade de parceiros, a liberalização das drogas. A doença lhe deu um golpe certeiro, do qual nunca se recuperaria.

Sem nomeá-la, ele falava com sinceridade sobre a sua debilidade física. “A pior sensação da doença, para mim, foi a de estar vivo, mas sem nenhuma energia. Tudo cansa, tudo é chato, tudo dói. E precisei criar um Deus em mim”, declarou em uma entrevista ao JB no ano anterior.

Assim que os médicos lhe confirmaram o HIV positivo, ele foi recomendado a tomar rigorosamente os remédios e não cair na boemia, coisa que não conseguiria cumprir: “Sou meio vira-lata, curto demais um Jack Daniels, e viver bem para mim é sair por aí encontrando gente e bebendo, até não agüentar mais”. Ao contrário das outras celebridades que foram embrulhadas pelo manto da AIDS, Cazuza se expôs, continuou a frequentar todas as estréias de shows do Rio, e se tornou uma bandeira indissociável do combate a essa epidemia. 

Cazuza subiu aos palcos pela primeira vez em 1980, no Circo Voador, iniciando uma carreira que seria marcada por sucessos, excessos, provocações e paixões. O cantor rompeu as fronteiras entre o rock e a MPB. Em letras de grande vivacidade e romantismo, Cazuza conquistou o Brasil. Após a doença, suas composições passaram a ser viscerais, doloridas, violentas e, ao fim, políticas. Ele foi poeta, cantor, um personagem de sua própria história.

Fonte: Blog Hoje CPDOC/Jornal do Brasil. Disponível em: http://www.jblog.com.br/hojenahistoria.php?blogid=57&archive=2010-07

0 comentários:

Postar um comentário